Projeto Literacia para os Media volta a formar professores

O projeto Literacia para os Media, que resulta de uma parceria entre o Sindicato dos Jornalistas e o Ministério da Educação, vai voltar a formar professores dos ensinos básico e secundário, agora nas zonas de Figueira da Foz, Covilhã, Santarém e Sines.

A oficina de formação “Literacia para os media e jornalismo: práticas pedagógicas com os media e acerca dos media” – que integra a componente curricular de Cidadania e Desenvolvimento e tem a duração de 40 horas – arranca no dia 27 de janeiro, terminando, ao final de sete sessões, a 14 de abril.

As inscrições estão abertas até 21 de janeiro (mais informação aqui https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Noticias_documentos/procedimentos_literacia_media_e_jornalismo.pdf).

A oficina – coordenada por jornalistas e académicos especialistas da área do jornalismo – tem como objetivo capacitar os professores para o desenvolvimento de atividades de Literacia para os Media.

O projeto, desenhado pelo Sindicato dos Jornalistas e financiado pela Direção Regional da Educação e pelo Cenjor (Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas), já realizou duas edições em Portugal Continental e uma nos Açores (neste caso com o apoio da Direção Regional da Educação).

Em janeiro de 2017, na sequência do 4.º Congresso dos Jornalistas Portugueses, que aprovou uma moção considerando urgente promover a Literacia para os Media, o Sindicato dos Jornalistas apresentou ao Ministério da Educação uma proposta de intervenção nessa área, concebida por jornalistas e académicos da área da comunicação.

Dois anos depois, o projeto arrancava em todo o Continente, com o objetivo de disponibilizar aos professores metodologias, recursos e ferramentas que estes possam usar nas atividades de Literacia para os Media que vão desenvolver com os seus alunos e com as comunidades escolar e educativa.

Ao mesmo tempo, pretende-se envolver os jornalistas na formação de professores e alunos sobre os desafios que hoje se colocam à importante função de mediar e escrutinar a realidade.