Polícias russos suspeitos de morte de jornalista

A polícia de São Petersburgo suspeita que o repórter do semanário “Gorod” Maksim Maksimov, desaparecido há um ano, foi assassinado por três investigadores policiais devido ao seu trabalho jornalístico, noticiou o diário russo “Kommersant”.

Os três suspeitos – dois majores e um tenente-coronel – fazem parte da divisão de corrupção do Ministério do Interior e estão actualmente detidos por falsificação de provas num caso distinto.

Antes de desaparecer, o jornalista de 41 anos estava a investigar os assassinatos de diversos empresários e políticos russos, mas a polícia e os colegas não pensaram inicialmente que o desaparecimento tivesse a ver com jornalismo, apontando ao invés para a possibilidade de Maksim Maksimov ter sido vítima do submundo imobiliário, já que estava a tentar trocar de casa em São Petersburgo.

Segundo o “Kommersant”, os investigadores acreditam que o jornalista do “Gorod” terá sido estrangulado para não noticiar casos de corrupção na delegação local do Ministério do Interior, mas tal não passa de uma suposição, pois o corpo não foi encontrado.