Polícia efectua buscas no “Corriere della Sera”

As instalações do “Corriere della Sera” em Milão foram revistadas pela polícia a 25 de Maio, na sequência de um artigo de primeira página desse mesmo dia intitulado “Iraque, pistolas italianas na guerrilha. O mistério da Beretta fantasma”.

No dia das buscas – autorizadas pela procuradoria de Brescia –, as autoridades interrogaram durante uma hora a autora do artigo, Nunzia Vallini, e o editor do jornal, Gianluca Di Feo, além de terem revistado computadores e papéis da redacção, em busca de dados que permitissem chegar até às fontes que teriam fornecido a informação constante da notícia.

No texto, era revelado que a justiça italiana se encontrava a investigar o uso de pistolas Beretta por parte de guerrilheiros no Iraque, as quais poderiam ter sido fabricadas em Itália, no Brasil, na China ou nos Estados Unidos.

A acção não agradou ao diário italiano, que numa declaração publicada a 26 de Maio considerou o gesto judicial como “repelente e contrário à prática livre do jornalismo”, opinião partilhada por Paolo Serventi Longhi, secretário-geral da Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI), que o considera “um acto de intimidação grave”.