Patrões bloqueiam negociação colectiva na imprensa suíça

A Verband Schweizer Presse, associação que representa os patrões dos média suíços, impôs como condição para negociar um novo acordo colectivo de trabalho a exclusão de temas como o salário mínimo no sector e a protecção laboral do pessoal técnico.

Perante esta exigência inédita, uma vez que os salários têm estado no cerne dos acordos colectivos desde 1918, a associação Impressum e o sindicato dos jornalistas suíços (Comedia) recusam-se a aceitar negociações que excluam a questão salarial.

Numa tentativa de alcançar uma base de negociação, as duas entidades prepararam três critérios salariais para discussão: o desenvolvimento económico do sector, a taxa de inflação e outros desenvolvimento relacionados com a inflação, mas os patrões insistem nas suas exigências, uma vez que pretendem regular os salários ao nível das empresas.

Como o acordo colectivo deixou de vigorar em Agosto de 2004, o Comedia e a Impressum têm contactado organizações similares de toda a Europa para trocar experiências e assim conhecer outras realidades com que possam argumentar contra os patrões, que no final de 2004 voltaram a recusar o reatar das negociações, não obstante um abaixo-assinado nesse sentido firmado por 2100 trabalhadores.