ONU apela à Rússia para pôr cobro a assassinatos de jornalistas

O relator da ONU sobre execuções extrajudiciais, Philip Alston, em declaração divulgada a 29 de Março, pediu ao governo da Rússia que tome medidas para punir e prevenir assassinatos de jornalistas.

O apelo consta do relatório anual apresentado por Philip Alston ao Conselho de Direitos Humanos (CDH) da ONU, reunido em Genebra até esta sexta-feira.

Segundo Philip Alston, o governo russo não processou os responsáveis por assassinatos de jornalistas nem adoptou medidas para prevenir novos casos.

O relatório refere a morte de 13 jornalistas desde 2000 devido às suas actividades profissionais. Todos esses crimes apresentam traços comuns: foram levados a cabo com armas de fogo por homens desconhecidos e visaram profissionais que investigavam denúncias sobre corrupção ou violações dos direitos humanos no conflito da Chechénia.

“A comunidade internacional deve vigiar a situação dos jornalistas na Rússia de maneira muito cuidadosa”, afirmou Philip Alston.