Mesa-redonda sobre assassinatos de jornalistas na ex-URSS

Pouco mais de uma semana após a morte de Anna Politkovskaya, a 13ª jornalista assassinada na era Putin, a Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) organiza a 17 de Outubro, em Bruxelas, uma mesa-redonda sobre a impunidade dos casos de repórteres assassinados em países da ex-União Soviética.

Além do caso de Politkovskaya, serão abordados os assassinatos ainda impunes do ucraniano Georgy Gongadze, em 2000, e da repórter bielorrussa Veronika Cherkasova, em 2004, prevendo-se ainda o debate de questões como “O que está a União Europeia a fazer acerca destes acontecimentos na sua fronteira leste?” ou “O que mais pode ser feito para defender a democracia?”.

O evento contará com as presenças da eurodeputada socialista estónia Marianne Mikko e dos jornalistas Rotislav Demchuk (do Canal 5 da Ucrânia), Zhanna Litvina (presidente da Associação Bielorrussa de Jornalistas), Nikolay Venediktov e Sedor Klimkime (ambos da agência noticiosa russa RIA Novosti), e será moderado por Aidan White, secretário-geral da FIJ.