Londres dificulta acreditação de jornalistas

A Federação Europeia de Jornalistas (FEJ) e a Associação de Correspondentes Estrangeiros em Bruxelas apelaram a 25 de Julho ao governo de Londres para que reveja as “regras bizarras e inexplicáveis” de acreditação de jornalistas para eventos organizados pela presidência britânica da União Europeia.

Ambas as organizações criticam as autoridades britânicas por exigiram aos jornalistas o fornecimento de dados “pessoais e irrelevantes”, tais como “detalhes sobre os seus pais”.

Para Michael Stabenow, presidente da Associação, também não se compreende que de cada vez que muda a presidência da União Europeia (UE), de seis em seis meses, mudem as regras de acreditação, o que significa que os jornalistas têm de refazer todo o processo para poderem exercer a sua actividade. Acresce que parece haver diferentes critérios para diferentes eventos, o que dificulta ainda mais a vida dos média.

“Se a União Europeia quer relacionar-se como deve ser com os cidadãos, deve pelo menos reconhecer o direito dos jornalistas a trabalhar e não os obrigar a seguir regras que são bizarras e inexplicáveis”, afirmou Aidan White, secretário-geral da FEJ, sublinhando que “os jornalistas sempre tiveram acreditação a nível nacional e europeu e isso deve ser respeitado na União Europeia”.

A Grã-Bretanha assumiu a presidência da UE em 1 de Julho.