Jornalistas italianos ponderam regressar à greve

A Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI) disse mais uma vez estar disponível para negociar e chegar a acordo com a Federação Italiana dos Editores de Jornais (FIEG) quanto ao contrato colectivo que caducou há dois anos. Caso a FIEG mantenha a recusa em negociar, os jornalistas garantem que vão marcar dias extra de greve com o objectivo de provocar fortes repercussões económicas e políticas.

Esta postura de abertura negocial, por um lado, e firmeza, por outro, pretende mostrar aos editores que a situação actual é insustentável e que os jornalistas transalpinos tudo farão para a resolver.

Outra das medidas que a FNSI irá tomar é a publicação de uma carta aberta ao primeiro-ministro Romano Prodi, para solicitar ao governo que assuma a iniciativa imediata de criar as condições para uma conferência negocial entre as duas partes, caso a FIEG opte por não reagir voluntária e positivamente ao repto do sindicato.