Jornalistas italianos assinalam dois anos sem contrato colectivo

Os jornalistas italianos assinalaram hoje, 28 de Fevereiro, dois anos sobre a caducidade do principal contrato colectivo da classe, que desde então não foi renovado por recusa da Federação Italiana de Editores de Jornais (FIEG) em negociar com a Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI), não obstante os esforços de mediação feitos nesse sentido pelas autoridades políticas do país.

Numa carta aberta aos cidadãos transalpinos, a FNSI frisou que a postura não dialogante da FIEG coloca em causa o direito constitucional à contratação e dificulta as relações sindicais em muitas empresas do mundo da informação.

Por esse motivo, a FNSI, as Associações Regionais de Imprensa e os Comités de Redacção dos órgãos de comunicação social italianos instam os editores a acolherem o convite das instituições e a disponibilidade do sindicato para iniciar uma negociação capaz de evitar novas acções de mobilização e de greve dos jornalistas.