Jornalistas de “A Bola” sem subsídio de Natal

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) está cada vez mais preocupado com a situação que estão a viver os jornalistas de A Bola, A Bola TV e Auto Foco, que, depois de não terem recebido o subsídio de férias, veem agora a empresa a não pagar o subsídio de Natal, violando o estipulado no Código do Trabalho.

O atropelo aos direitos dos trabalhadores seria sempre grave, mas torna-se inaceitável quando cerca de 70 profissionais da Sociedade Vicra Desportiva (detentora do jornal A Bola e da revista Auto Foco) e da Sociedade Vicra Comunicações (proprietária de A Bola TV) estão desde março em lay off, com uma violenta redução salarial, de mais de dois terços.

Tendo em conta a violação dos deveres da empresa e constituindo a falta de pagamento dos subsídios de férias e Natal uma contraordenação laboral grave, o SJ fez uma exposição à ACT (Autoridade para as Condições do Trabalho), esperando que esta entidade possa agir o mais rapidamente possível.

Há profissionais das duas empresas a passaram por momentos dramáticos.

Além de não pagarem o que devem, as duas empresas não se dignaram, até ao momento, a dar qualquer explicação aos trabalhadores. O impacto da crise causada pela pandemia de covid-19 não justifica este atropelo à dignidade dos profissionais em causa.

Por tudo isto, o Sindicato dos Jornalistas informou esta quarta feira o secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, alertando-o para os atropelos ao Código do Trabalho que estão a ser cometidos pela Sociedade Vicra Desportiva e pela Sociedade Vicra Comunicações, que receberam um apoio extraordinário do Estado (antecipação da publicidade institucional) e estão a ser subsidiadas pelos contribuintes no regime de layoff.

Além de manifestar solidariedade aos jornalistas dos órgãos de informação em causa, o SJ assegura que dará todo o apoio às medidas que estão a ser ponderadas pelos trabalhadores.

A Direção