Jornalistas britânicos impedidos de cobrir manifestação

Os jornalistas do “South Wales Evening Post”, de Swansea, no País de Gales, foram impedidos a 14 de Outubro de cobrir uma manifestação à porta do próprio jornal, noticiou o Sindicato Nacional de Jornalistas britânico (NUJ).

Segundo John Fray, secretário-geral-adjunto do NUJ, os jornalistas foram impedidos pelos seguranças de sair do edifício e de se juntarem ao protesto no exterior contra os cortes de 25 milhões de libras (36,5 milhões de euros) que a Northcliffe, empresa detentora do jornal, anunciou a nível nacional.

Relembrando que os cortes em causa vão ser efectuados apesar dos lucros de 100 milhões de libras (146 milhões de euros) obtidos pela empresa em 2004, o NUJ criticou a acção contra os jornalistas do “South Wales Evening Post”, acusando-a de ser “sintomática do desrespeito da Northcliffe pelas notícias locais”.

Tim Lezard, presidente do NUJ, acrescentou mesmo que o grupo “não tem qualquer lealdade para com os trabalhadores ou os leitores, apenas para com os accionistas”, e deu como exemplo da falta de ligação à comunidade local a deslocalização da impressão do título, que passou de Swansea para Bristol, uma cidade a 130 quilómetros de distância.