Jornalista russo espancado até à morte

O corpo do jornalista de televisão russo Konstantin Borovko, de 25 anos, foi encontrado sem vida a 20 de Janeiro na cidade de Vladivostok, com sinais de ter sido espancado violentamente.

Colegas do jornalista no canal regional Guberniya suspeitam que este foi vítima de um ataque fortuito ou roubo, uma vez que o seu trabalho na área da cultura e do entretenimento não costumava abordar temas sensíveis.

No dia anterior, também na zona oriental da Rússia, a repórter Tamara Golovanova, do jornal “Vesti”, foi agredida com violência quando fotograva pessoas que estavam à porta do gabinete de emprego da cidade de Partizansk para apresentar queixa de uma empresa da região que não lhes tinha pago o salário.

A jornalista foi agredida no rosto e no peito por um homem que começou por tentar impedi-la de fotografar as pessoas, não obstante estas se encontrarem num lugar público, tendo precisado de receber tratamento hospitalar.

“É ultrajante que uma repórter a trabalhar à porta de um edifício público possa ser agredida em plena luz do dia – e é especialmente preocupante dado o historial da Rússia em termos de impunidade dos crimes contra jornalistas”, afirmou o director-executivo do Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ), Joel Simon, que instou as autoridades a investigarem o caso exaustivamente e a punirem os responsáveis.