Jornalista polaca deportada da Bielorrússia

Agnieszka Romaszewska, jornalista da televisão pública polaca, foi deportada a 14 de Dezembro do aeroporto de Minsk, na Bielorrússia, onde tinha chegado um dia antes com vista a prosseguir o trabalho de correspondente que exercera durante os seis meses anteriores.

A repórter da Telewizja Polska foi considerada por um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bielorrússia como “provocadora e dona de um carácter pouco amigável”.

Em Julho último, Agnieszka Romaszewska noticiou uma polémica acção policial num centro comunitário polaco na cidade de Grodno, onde a polícia anti-motim usou da força para expulsar do edifício os líderes da comunidade.

Este tipo de situações tem contribuído para tornar as relações entre a Polónia e a Bielorrússia bastante tensas, com os polacos a acusarem Aleksandr Lukashenko de oprimir a minoria étnica polaca na ex-república soviética e o presidente bielorrusso a acusar a Polónia de conspirar para a sua deposição.

Agnieszka Romaszewska é a segunda jornalista polaca a ser deportada nos últimos seis meses, depois do fotojornalista Adam Tuchinksi, da revista “Przekroj”, ter sido expulso da Bielorrússia e proibido de lá voltar durante cinco anos.