Imprensa nórdica boicota concertos com cláusulas abusivas

Os jornalistas alemães, noruegueses e dinamarqueses criticaram e tomaram medidas contra cláusulas contratuais abusivas que são impostas pelas entidades organizadoras de vários espectáculos musicais.

Os primeiros protestos começaram na Noruega, onde a imprensa boicotou dois concertos dos Guns N’Roses em Oslo, depois de já ter feito o mesmo a duas outras bandas que participaram no festival Norwegian Wood e que, tal como a banda de Axl Rose, tentaram impor cláusulas que restringiam a acção dos fotojornalistas.

Na Alemanha, o presidente do sindicato DJV na Saxónia apelou a que os órgãos de comunicação social não divulgassem qualquer notícia ou fotografia do concerto de Robbie Williams, previsto para Dresden em meados de Julho, uma vez que a organização do espectáculo exige que os fotojornalistas assinem um contrato em que prescindem de todos os direitos morais e de autor sobre as imagens.

Por fim, o Sindicato Dinamarquês de Jornalistas decidiu actuar preventivamente para fazer face a estas situações incómodas e criou uma carta-tipo que deve ser usada pelos repórteres que pretendam protestar contra este tipo de contratos fotográficos para a cobertura de espectáculos.

Na missiva, o sindicato afirma que a imposição de restrições aos fotojornalistas é contrária às tradições legais e às práticas habituais da imprensa na Dinamarca, sublinhando que “é da maior importância que os fotógrafos possam fotografar e publicar livremente na imprensa escrita e electrónica as imagens captadas no evento”.

Com o objectivo de demonstrar abertura e promover uma cooperação frutuosa entre os fotojornalistas e os artistas, o sindicato frisou também que os primeiros não têm o direito de explorar com fins comerciais não-jornalísticos a imagem dos segundos, e acredita que os fotojornalistas não o farão sem autorização explícita dos visados.