Greve às assinaturas em 17 jornais italianos

Dezassete diários italianos do grupo Espresso-Repubblica-Finegil chegaram às bancas no dia 23 de Novembro sem que qualquer artigo fosse assinado por um jornalista, uma medida de protesto da redacção contra mais uma recusa da Federação Italiana de Editores de Jornais (FIEG) em discutir a renovação do contrato colectivo de trabalho.

Segundo a Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI), a “greve às assinaturas” pode estender-se nos próximos dias a outros jornais, estando convocada para hoje, 24 de Novembro, uma reunião extraordinária da junta executiva do sindicato com vista a examinar as várias iniciativas de luta passíveis de serem adoptadas para contestar a recusa dos patrões em renegociar o contrato colectivo, que caducou há dois anos.

Esta situação tem preocupado bastante o novo governo italiano, a ponto do ministro do Trabalho, Cesare Damiano, já ter proposto por três vezes a realização de reuniões técnicas sobre o contrato colectivo, as quais foram sempre recusadas pela FIEG.