FNSI não assina trégua olímpica com patrões

A Junta da Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI) recusou, por unanimidade, assinar uma proposta do governo de Silvio Berlusconi para um “período de trégua” social durante os Jogos Olímpicos de Inverno e os Paralímpicos que se realizam na próxima semana em Piemonte.

O documento governamental foi assinado a 11 de Janeiro pelas organizações sindicais confederais e pelas associações empresariais, mas a FNSI demarcou-se desta acção por considerar que “a classe jornalística vive um momento de extrema tensão por causa das grandes dificuldades registadas na negociação da renovação contratual com a Federação Italiana de Editores de Jornais (FIEG)”.

A decisão seguiu-se a um encontro entre representantes da FNSI e da FIEG, no qual Boris Bianchieri, presidente da organização patronal, sublinhou a indisponibilidade da FIEG para retomar as negociações contratuais, uma posição que leva o sindicato italiano de jornalistas a considerar que “não há condições para subscrever o protocolo de intenções”.

Por isso, em carta enviada ao subsecretário da Presidência do Conselho, Gianni Letta, a FNSI lamentou não poder aceitar a proposta do governo e mostrou-se disponível para acolher todas as iniciativas governamentais que tentem resolver construtivamente o confronto que opõe o sindicato de jornalistas à federação patronal de editores.