Escândalo na BBC evidencia importância da ética nos média

A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) apelou a 19 de Julho a todos os órgãos de comunicação para que se juntem numa campanha global para reforçar a ética jornalística, após notícias de que a BBC desrespeitou gravemente os seus padrões editoriais.

Segundo avança a FIJ, a empresa de serviço público britânica suspendeu todos os seus concursos telefónicos na rádio e na TV depois de descobrir que os ouvintes e espectadores foram enganados deliberadamente quanto a prémios e vencedores de diversos programas através de esquemas que envolviam telefonemas falsos e desrespeito editorial.

“Quando um líder no sector como a BBC tropeça, não restam dúvidas de que a crise de qualidade é profunda e está por todo o lado”, afirmou o secretário-geral da FIJ, Aidan White, sublinhando a urgência em atacar o definhar da qualidade editorial.

A organização lembrou ainda que no Congresso de Moscovo pôs em curso uma iniciativa global pelo Jornalismo Ético, pois considera que “o conteúdo de qualidade e a confiança do público são o segredo da sobrevivência numa era em que a tecnologia e a Internet viraram o mundo da informação de pernas para o ar”.

Considerando que “a pressão comercial e as condições de trabalhos inseguras pressionam quem tem de fazer julgamentos editoriais”, o secretário-geral do Sindicato Nacional de Jornalistas britânico (NUJ), Jeremy Dear, instou a que se acabe com “a precariedade, os contratos a curto prazo e outras pressões laborais que comprometem a qualidade”.