ERC considera que fim da rubrica “Este Tempo” não pode ser atribuída a crónica de Pedro Rosa Mendes

O Conselho Regulador da ERC concluiu que o fim da rubrica “Este Tempo”, da Antena 1 da RDP, não pode ser atribuída ao desagrado provocado pela crónica do jornalista Pedro Rosa Mendes sobre Angola.

A deliberação, tomada ontem, 26 de Abril, considera que o teor da crónica de Pedro Rosa Mendes, “ainda que crítico e contundente em relação à televisão pública e ao regime angolano, se inscreve nos limites da liberdade de expressão e de opinião”, e dá por “provado que o “Este Tempo” há muito gerava desagrado junto dos diretores de informação e de programas da RDP e que não foram introduzidas alterações de fundo à rubrica”.
Considerando “redutora a explicação de que a cessação da rubrica foi apenas motivada pela crónica sobre Angola”, a deliberação valora a “avaliação negativa do “Este Tempo” como uma das razões para o seu fim”, o que “também terá sido propiciado pelo facto de os contratos dos colaboradores terminarem a 31 de janeiro e de estar em curso uma restruturação da grelha de programas da rádio pública”.
Tudo ponderado – refere o texto – o Conselho Regulador concluiu que os elementos recolhidos no âmbito da averiguação ao caso “não permitem dar por provado que a cessação do “Este Tempo” resultou, diretamente, do desagrado provocado pela crónica de Pedro Rosa Mendes”, mas faz notar aos responsáveis da RDP que o “processo de terminar o “Este Tempo” foi mal gerido, o que teve impacto na credibilidade do serviço público de rádio”.