Director do “Charlie Hebdo” absolvido no caso das caricaturas

A justiça francesa absolveu a 22 de Março o director do jornal satírico Charlie Hebdo, Philippe Val, do delito de “injúrias religiosas” por, em 2006, ter publicado três caricaturas de Maomé, duas das quais já tinham sido difundidas pela publicação dinamarquesa “Jyllands-Posten”.

A queixa contra o jornalista tinha sido interposta pela Liga Islâmica Mundial, a Grande Mesquita de Paris e a União das Organizações Islâmicas de França, tendo esta última organização anunciado que vai recorrer da decisão.

Satisfeita com este desfecho, a Repórteres Sem Fronteiras (RSF) considerou esta sentença como “uma vitória da liberdade de imprensa e, de forma alguma, uma derrota para a comunidade”, esperando que o caso abra um precedente judicial.