CD promove reflexão para credibilizar jornalismo

O Conselho Deontológico (CD) do Sindicato dos Jornalistas decidiu ouvir os conselhos de redacção, os directores e um grupo de jornalistas de 11 meios de comunicação social, pedindo-lhes depoimentos, sobre questões suscitadas pela participação de jornalistas, na qualidade de accionistas, na Assembleia Geral do Millennium BCP.

A iniciativa do CD ocorre na sequência da recomendação emitida a 25 de Julho último, em que o Conselho Deontológico alertava para que a “assumpção da qualidade de accionistas por parte de jornalistas, que estejam em serviço, fere a doutrina do Código Deontológico”.

Nessa recomendação, o CD apelava à abertura à comunicação social das assembleias gerais de empresas cotadas na Bolsa, instando a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários a derrubar as barreiras no acesso à informação.

O apelo foi ouvido, tendo a administração do BCP disponibilizado uma sala de imprensa para que os jornalistas pudessem acompanhar os trabalhos da assembleia através de circuito interno de televisão, mas apesar disso houve jornalistas e meios de comunicação social que não abdicaram das procurações para assistirem, na qualidade de accionistas, à assembleia geral do BCP realizada em 6 de Agosto.

Reiterando o “espírito e a letra da sua recomendação”, o CD entendeu oportuno recolher as opiniões das partes envolvidas no processo, sublinhando que a sua iniciativa “visa proporcionar uma reflexão que dê um contributo sério à credibilização do jornalismo e dos jornalistas”.