Categoria: Memória

Os três Congressos de Jornalistas

«Liberdade de expressão, expressão da liberdade», «Deontologia» e «Jornalismo real, jornalismo virtual», foram os lemas que caracterizaram os três Congressos de Jornalistas Portugueses que o SJ tomou a iniciativa de promover em 1983, 1986 e 1998. Abertos a todos os jornalistas, fossem ou não sindicalizados, esses congressos constituiram grandes manifestações da capacidade dos jornalistas para reflectirem sobre o seu papel na sociedade.

Declaração do 1º Congresso

A manutenção do sector público enquanto garantia de uma informação pluralista, independente e isenta, a rejeição de todas as formas de pressão económica, o apoio à criação do ensino superior de jornalismo e a defesa de um Nova Ordem Internacional da Informação foram algumas das ideias-chave da Declaração aprovada no final do 1.º Congresso dos Jornalistas Portugueses.

Relatório-síntese do 2º Congresso

Além da resolução que consubstanciou as conclusões do 2.º Congresso dos Jornalistas Portugueses, foi elaborado um Relatório-síntese dos debates, no qual foram abordados outros assuntos directa ou indirectamente relacionados com o tema «Deontologia», a fim de servirem de base à pretendida reformulação do Código Deontológico dos Jornalistas e para futuras acções do SJ.

Relatório final do 3º Congresso

A par da resolução consubstanciadora das conclusões, o 3.º Congresso dos Jornalistas Portugueses apresentou um Relatório Final em que se explanaram as ideias apresentadas e debatidas no decorrer das sessões de trabalho dos vários paineis, bem como as informações de dois documentos que contribuiram para fazer uma espécie de radiografia da classe jornalística em Portugal.

«Dona Wanda», uma colaboradora inesquecível

Jornalista que tenha entrado na profissão até aos anos 90 saberá inevitavelmente o que significa o nome de «Dona Wanda», a figurinha amável e delicada que durante meio século serviu a classe dos jornalistas sem mostrar preferência por nenhum, pois de todos cuidava como se fossem seus filhos. Aqui se presta homenagem a essa grande senhora, que exerceu exemplarmente o cargo de chefe dos Serviços do SJ.

Corpos Gerentes desde 1934

Desde 1934 até à actualidade, aqui se registam (por ordem cronológica inversa) os nomes e os cargos de quantos exerceram funções nos corpos gerentes do Sindicato dos Jornalistas, desde a sua fundação. Como se verá, o número de dirigentes foi crescendo com o tempo e muitos deles participaram em vários mandatos.