Autoridade reguladora italiana multa Mediaset

A autoridade reguladora das comunicações de Itália condenou, a 9 de Fevereiro, o grupo Mediaset, controlado pela família de Silvio Berlusconi, ao pagamento de uma multa de 150 mil euros, por este violar as regras de atribuição justa de tempo de antena e favorecer o primeiro-ministro transalpino.

Desde o início do ano que Silvio Berlusconi tem monopolizado os ecrãs televisivos, o que lhe dá teoricamente alguma vantagem na corrida às legislativas de 9 de Abril, cuja campanha teve início oficial a 11 de Fevereiro, após a dissolução do parlamento.

Enquanto “il Cavaliere” teve mais de três horas de tempo de antena desde meados de Janeiro, o seu principal opositor, Romano Prodi, apenas apareceu durante oito minutos, o que levou a autoridade reguladora a actuar, por forma a tentar levar os canais públicos e privados a aplicarem a lei dos tempos de antena equitativos para candidatos a cargos políticos, a qual também é valida para períodos pré-eleitorais.

A entidade reguladora abriu ainda investigações específicas a dois programas – um no canal televisivo Rete 4, propriedade da Mediaset, e outro no canal público Isoradio, ligado à RAI – nos quais Silvio Berlusconi teve direito a tempo de antena sem que houvesse qualquer força ou pessoa que se lhe opusesse.

Em reacção a esta multa, a Repórteres Sem Fronteiras (RSF) revelou-se satisfeita, embora a considere “mais simbólica do que real”, pois o valor em causa é “irrisório para um grupo tão poderoso quanto a Mediaset e não resolve o problema do acesso dos outros candidatos aos média ”.