Alemanha acusa dois jornalistas de divulgar segredos de Estado

Os jornalistas de investigação Bruno Schirra, colaborador da revista “Cicero”, e Johannes von Dohnanyi, chefe da secção internacional do semanário suíço “SonntagsBlick”, foram acusados a 13 de Março pela procuradoria de Potsdam, na Alemanha, de “cumplicidade na divulgação de um segredo de Estado”.

Bruno Schirra é acusado de ter divulgado, num trabalho publicado na ”Cicero”, informação contida num relatório secreto da polícia alemã acerca da Al-Qaeda, que lhe terá sido facultado por Johannes von Dohnanyi.

A polícia realizou uma busca às instalações da revista cinco meses após o artigo ter sido publicado, o que, segundo a Repórteres Sem Fronteiras (RSF), violou o direito à confidencialidade da informação, inscrito nos artigos 10º e 19º da Constituição germânica, e desviou as atenções do facto de a fuga ter, aparentemente, partido de dentro do governo alemão.

A RSF instou as autoridades a retirarem as queixas e saudaram o facto de o Partido Liberal e os Verdes terem avançado com iniciativas legislativas para aumentar a protecção dos jornalistas e das suas fontes no código penal.