“A Manhã”, uma alternativa colectiva de jornalistas desempregados

Na próxima quarta-feira, 12 de Setembro, uma cooperativa jornalistas vai lançar um novo jornal. Com sede em Gondomar, distrito do Porto, o “Semanário A Manhã” é uma resposta de um conjunto de profissionais vítimas de despedimentos colectivos, apostando na via cooperativa para garantir o seu rendimento e a liberdade de fazer jornalismo. É isso que explica o seu director, Paulo F. Silva.

Notícias da sua terra
Participar da concepção de um filho é algo de muito especial na vida das pessoas, e quase todos já experimentámos desse ensaio ancestral. Assistir ao nascimento do que concebemos ao longo de um ano é, digamos, um fascínio inexplicável.
Não posso aqui falar em nome dos meus outros cinco companheiros de viagem, mas aposto tudo, em nome deles e no meu próprio, em como vamos presenciar esta semana, quarta-feira em sessão de lançamento e quinta-feira no circuito comercial, a algo de inédito na Imprensa portuguesa.
O “Semanário A Manhã” – iniciativa de seis profissionais da Comunicação Social com dezenas de anos de trabalho, inclusive, premiado, mas atingidos por despedimentos colectivos na sequência de processos de reestruturação desenvolvidos nas suas empresas de origem – quer contrariar a estatística oficial: é que mais de duas centenas de jornalistas das redacções do Porto de vários órgãos de Comunicação Social perderam o emprego nos últimos anos!
Todos temos consciência de que os ventos não são de feição. E nós, em particular, temos vindo a senti-lo na própria carne. Todos sabemos que, para inalar, satisfeitos e orgulhosos, o cheiro de tinta em papel impresso, e pago com o nosso próprio suor e bolso, corremos um risco de antanho. Mas todos nós, e sem excepção, sabemos que, muito provavelmente, este é o único modo de (ainda) nos sentirmos vivos e livres. Nem todos podem dizer que trabalham muito e gostam do que fazem. Por agora, nós conseguimos fazê-lo!
O “Semanário A Manhã” é um projecto profissional que assume uma vertente iminentemente noticiosa, e quer levar às populações aquilo que elas não têm: notícias da sua terra.

Paulo F. Silva
Director do “Semanário A Manhã”

Ficha técnica
Título: Semanário A Manhã.
Publicação: às quintas-feiras.
Tiragem: média de 3000 exemplares (5000 exemplares nas duas primeiras edições).
Formato: tablóide, com 24 páginas a cores.
Preço de capa: 50 cêntimos.
O conteúdo do jornal, além de privilegiar espaço para reportagens e entrevista, numa vertente regional, consagrada ao concelho de Gondomar, contará com um destaque semanal, páginas dedicadas ao desporto concelhio e à informação judicial e policial.