QUINTA-FEIRA
19 de Outubro de 2017 | 22:49

Quarto jornalista morto este ano no Paquistão

Publicado a 12/10/2017 NOTÍCIAS

Haroon Khan regressava a casa quando dois criminosos, viajando de moto, abriram fogo sobre o profissional de comunicação que morreu à chegada ao hospital.


A Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) condenou vigorosamente o assassínio do jornalista Haroon Khan em Swabi, na província de Khyber Pakhtunkhwa, no noroeste do Paquistão, tratando-se do quarto profissional de comunicação morto este ano no país. A FIJ exige a abertura imediata de uma investigação e a detenção dos responsáveis pelo crime.

Ontem, quando voltava para casa após mais um dia de trabalho na Sach TV (Khan também desempenhava tarefas como freelancer para a Mashriq Television), Haroon Khan foi atingido a tiro por dois assassinos que se faziam deslocar de moto e fugiram de imediato após o ato criminoso. Transportado ao hospital, Khan foi declarado morto à chegada.

Anthony Bellanger, secretário-geral da FIJ, sintetizou: "O quarto assassínio de um jornalista este ano no Paquistão chama à atenção para o ambiente perigoso em que os media continuam a trabalhar no país. Quando nos aproximamos do Dia Internacional para acabar com a impunidade relativa a crimes contra jornalistas, exigimos ações concretas do governo paquistanês no sentido de que seja garantida a segurança dos profissionais de comunicação, colocando-se fim a uma cultura de impunidade que está em roda livre no país. Até agora, dos mais de 100 jornalistas mortos no Paquistão desde 2005, só em três casos houve investigações bem sucedidas."

O Dia Internacional para acabar com a impunidade relativa a crimes contra jornalistas será assinalado a 2 de novembro e a FIJ realizará, até 23 desse mês, a campanha anual #EndImpunity.

Versão para Imprimir