Dezenas de jornalistas precários identificados em inspeção na RTP

Publicado a 03/03/2017

Autoridade para as Condições de Trabalho esteve na empresa nos dias 1 e 2 de março e reuniu-se com administração.


Mais de duzentos falsos recibos verdes foram identificados, em várias áreas da RTP, numa ação inspetiva da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT).
Durante dois dias, 1 e 2 de março, 26 inspetores estiveram na sede da Rádio e Televisão de Portugal (RTP- Lisboa) e também no Centro de Produção Norte (RTP - Monte da Virgem).
Dezenas de jornalistas falsos recibos verdes foram detetados e inquiridos durante a ação.
A ACT, como é normal procedimento nas ações inspetivas, reuniu-se também com o Conselho de Administração (CA) da empresa.
O Sindicato dos Jornalistas (SJ) espera que o CA da RTP promova, junto da tutela, uma solução que ponha termo a esta flagrante ilegalidade, que sempre denunciou.
O SJ está atento ao desenrolar de todo este processo e apela à máxima transparência, para que seja encontrado um caminho que, repondo a legalidade, atente simultaneamente na justiça e no equilíbrio entre os trabalhadores do serviço público de rádio e de televisão.
O SJ está a acompanhar os seus associados na situação de falsos recibos verdes, a quem prestará todo o apoio jurídico que for necessário.
Os dirigentes do SJ presentes na empresa continuam disponíveis para prestar qualquer esclarecimento aos jornalistas.
A precariedade no jornalismo, tão gravosa para a democracia, está longe de se confinar à RTP, como ficou amplamente demonstrado no 4.º Congresso dos Jornalistas Portugueses, realizado em janeiro.
Por isso, o SJ espera que a ação da ACT se estenda urgentemente a outros órgãos de comunicação social, públicos e privados.