SEXTA-FEIRA
15 de Dezembro de 2017 | 17:57
João Miguel RodriguesJoão Miguel Rodrigues

SJ lança debate sobre tabela remuneratória para fotojornalistas freelancer

Publicado a 23/11/2017 NOTÍCIAS

Trata-se de uma tabela de referência e os interessados devem participar, enviando as suas opiniões através do e-mail sj@sinjor.pt e/ou por mensagem privada na página oficial do Sindicato no Facebook, sempre com nome profissional e respetivo número de Carteira Profissional. Participa!


O Sindicato dos Jornalistas, em colaboração com vários fotojornalistas e após várias sessões de trabalho, decidiu colocar a discussão uma proposta de tabela de referência remuneratória para fotojornalistas freelancer. Os interessados devem participar, enviando as suas opiniões através do e-mail sj@sinjor.pt e/ou por mensagem privada na página oficial do Sindicato no Facebook, sempre com nome profissional e respetivo número de Carteira Profissional.

Atualmente, não existe qualquer proteção para os trabalhadores sem contrato de trabalho, fotojornalistas incluídos.
De acordo com os valores de mercado registados em maio de 2017, os custos permanentes, antes de qualquer atividade, de um fotojornalista freelancer rondam os 830 euros por mês.

Atendendo à diversidade de situações e dimensões dos órgãos de comunicação social e à diferente utilização que estes fazem das fotografias de reportagem, o objetivo desta tabela é salvaguardar a independência e a dignidade profissional e humana dos fotojornalistas, considerando que:

- um fotojornalista freelancer tem a seu cargo todos os custos de Segurança Social, retenções de IRS, seguros de trabalho e equipamento e ainda todo o custo relacionado com o investimento material e técnico, bem como os custos de comunicações associados.

- um fotojornalista não inicia a sua reportagem na primeira foto nem a termina na última; tem, a priori e a posteriori, todo um trabalho de edição, tratamento, arquivo e produção que algumas vezes é superior ao tempo da reportagem foto-a-foto propriamente dito.

Considerando o exposto, propõe-se o valor mínimo de referência por reportagem/serviço de 150 euros (excluindo custos de deslocação associados).

Neste memorando, só foram analisados os pagamentos por reportagem de fotojornalistas. Não estão contempladas a cedência de direitos para publicação em diferentes órgãos de comunicação social ou agências, nem fórmulas de arquivo e venda a posteriori de direitos de publicação, cessado o prazo legal.

Deste modo pretende-se conhecer a tua opinião sobre a proposta em discussão e é fundamental que esta seja o mais difundida possível. Neste sentido, pede-se que cada fotojornalista passe a palavra, divulgando esta mensagem para chegar a um vasto universo de destinatários.

Versão para Imprimir